Você de volta ao controle

Alertas

Tratamentos

A disfunção erétil é um estado comum que pode ser tratado com sucesso na maioria dos homens. O primeiro passo é buscar orientação especializada junto ao médico urologista para conhecer as opções disponíveis de tratamento. Entre as terapias mais comuns, encontram-se:

Medicamentos de via oral – melhoram o fluxo de sangue para o pênis, atuando diretamente sobre os vasos sanguíneos e permitindo a expansão das artérias para produção da ereção. De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia, as taxas de sucesso na ereção com o uso de remédios específicos variam de 56% a 84%.

Desvantagens: não podem ser usadas paralelamente a determinados medicamentos para pressão alta e necessitam de estímulo sexual para produzir a ereção. Segundo sugerem algumas pesquisas, eles não funcionam para até 30% dos homens.

Injeções – são aplicadas diretamente na base do pênis com uma seringa e uma agulha, estimulando o fluxo de sangue que irá promover a ereção.

Desvantagens: são desconfortáveis e podem provocar ereção prolongada. Em função disso, há dados que indicam a descontinuidade desse tipo de terapia em um ano.

Implante de próteses penianas – existem dois tipos de próteses (semirrígida ou inflável), que diferem no modo de funcionamento, na naturalidade da ereção e no número de componentes implantados. Ambas são reconhecidas atualmente como a mais efetiva opção para se obter uma ereção artificial satisfatória, especialmente em pacientes nos quais a abordagem com medicamentos (orais ou injetáveis) é ineficaz ou contraindicada. Os critérios para a indicação incluem condição médica, estilo de vida, preferência pessoal e custos. As próteses apresentam elevado grau de segurança, confiabilidade e satisfação dos usuários, que chega a 97%, de acordo com pesquisas médicas, sendo hoje um tratamento utilizado amplamente em todo o mundo.

Desvantagens: há possibilidade de ocorrerem eventuais complicações, como infecção (3%), erosão (1%), e mau funcionamento do dispositivo (12%), resultando na necessidade de remoção ou troca da prótese.




destaques

Copyright © 2014 Sociedade Brasileira de Urologia
Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Ketchum.